segunda-feira, 15 de julho de 2013

[RESENHA] - Para Sempre Sua


Informações: 
Edição: 1
Editora: Paralela
ISBN: 9788565530248
Ano: 2013
Páginas: 295
Tradutor: Alexandre Boide



Sinopse: A partir do momento que conheci Gideon Cross, vi nele algo que precisava. Algo que não podia resistir. Eu vi a alma perigosa e danificada — muito parecida com a minha. Eu estava atraída por isso. Eu precisava dele, tanto quanto precisava que meu coração batesse. Ninguém sabe o quanto ele arriscou por mim. O quanto fui ameaçada, ou quão sombria e desesperada a sombra de nosso passado se tornaria. Entrelaçados por nossos segredos, nós tentamos desafiar as probabilidades. Nós fizemos nossas próprias regras e nos rendemos completamente ao poder requintado da posse… 



E eis o terceiro e, bem aguardado, livro da série Crossfire da autora Sylvia Day. Nesse, vemos como Gideon e Eva estão lidando após o final do caso com o Nathan e como isso mudou completamente o relacionamento dos dois. 

Não há como falar muito sobre a história sem soltar spoilers bombástico, mas diferente de seus antecessores, Toda Sua e Profundamente Sua, Gideon está mais vulnerável, mais meloso e até receoso, enquanto Eva desenvolveu um segurança e maturidade de dar gosto. É visível que o amor dos personagens cresceu e o relacionamento avança rapidamente. 

Cary, melhor amigo da Eva, quase não aparece, mas também quando aparece é de dar dó. Ele tem O dom de se meter em problemas, mas aparentemente agora ele vai sossegar. 

Há algumas surpresas no decorrer da narrativa, eventos que levam Gideon e Eva se firmarem como casal. O que me leva a pensar que esse livro ao invés de ser o último como todos esperavam, se transformou em algo de transição. 

O livro é realmente muito bem escrito. Uma riqueza de detalhes. Muitas das cenas eu mesma achei que Gideon iria se materializar na minha frente. Mas a autora exagerou na dose nas partes picantes, com muitos palavrões e putaria total. Praticamente 90% do livro foi só sexo. Enjoativo e sem conteúdo. Eu não acredito que duas pessoas consiga fazer isso o tempo todo em horário integral. 

O final do livro me deu uma sensação estranha. Uma sensação de tipo: "Eu não acredito que foi só isso!". Confesso, depois dos dois primeiros eu esperava mais. Muito mais. Fiquei bem decepcionada. Mas, como sou muito fã de Crossfire, vou dar uma segunda chance a série para que ela possa me surpreender, pois sei que a autora tem muitas coisas que valem a pena serem contadas nessa história. 

Quero saber como Gideon superará seus traumas de infância e seus sonhos violentos que esse passado desencadeou. Se Eva vai parar de ser tão irritante, Se alguns outros personagens vão resolver seus problemas... São muitas histórias paralelas e que tenho certeza que se a autora explorasse, seria mais sucesso do que colocar 90% de erotismo no livro. 



Critérios de Avaliação 


a) Arte da Capa: 
Essa capa é a que tem mais cor entre as três, seguindo o mesmo padrão sóbrio e carregado nos tons monocromáticos, há um vidro de perfume rosa bem vivo. Essa adição de uma cor mais quente e alegre combina com alguns acontecimentos do livro. 


b) Trama: 
A trama deu uma leve estagnada. Deu uma impressão de ser um livro de transição, meio “enche-linguiça”. A história avança rápida, mas mesmo assim, parece que não sai do mesmo lugar. Fora o final que apareceu do nada e deixou o leitor em um vácuo profundo. 


c) Caracterização das Personagens: 
Gideon e Eva estão evidentemente diferentes do que os leitores conheciam. O que é justificável por conta de todo o acontecido nos últimos livros. Foi uma mudança realmente grande, mas não se pode negar que há mais maturidade. Dessa vez, os coadjuvantes da história simplesmente foram apagados, seus dramas e histórias ficaram para último plano e fez falta para encorpar a trama. 


d) Qualidade do Livro (papel, letra, erros, etc.): 
Amo esse papel com leve tom de creme, opaco, não poroso. Somado com a boa diagramação, letras de um tamanho médio e um bom espaçamento ajuda a leitura ser ainda mais rápida do que já é. A revisão desse livro está muito boa, existem pequenos erros de digitação, mas algo bem leve. 



e) Comparação com outras obras do gênero: 
Dessa vez o livro me fez lembrar muito o Bem Profundo da autora Portia da Costa, já que os personagens só pensavam em sexo 24 horas por dia e não houve um desenvolvimento tão considerável na história. 


Nota: 3,0 






2 comentários:

  1. Que tal visitar meu blog e segui-lo? Comecei agora, e estou muito feliz de escrever para todos vocês. Da uma passadinha aqui:

    papodeconfidente.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, seja bem vinda.. e parabéns pelo blog...

      Excluir

Postagens populares