quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

[RESENHA] - Noturno



Em Noturno, temos a história de uma jovem que vê sua vida mudar depois de um inexplicável acidente. Recém-encontrada em uma mata fechada, completamente coberta por lama e aparentemente perturbada, o único lugar para se acordar é em uma ala psiquiátrica. Além das complicações de lidar com dúvidas sobre o desaparecimento e o estranho acidente, sinais de alucinações começam a ecoar em sua cabeça – e nesse momento você começa a questionar a própria sanidade. Por mais que você tente ignorar a doce voz que a controla,
ela lhe pedirá que não a abandone... Isso levanta a pergunta: Será que algo afetará minha cabeça? A triste verdade é que você se rende ao inevitável. E comete um dos maiores erros da sua vida: apaixona-se. Mas o pior está por vir quando você descobre a verdade e percebe que o que sentia era uma mentira, que o que tinha em mãos não era seu. E nunca será. As mentiras e descobertas continuam e você vê que fazia parte de um pacto. Você foi traída. Não por aqueles que a cercavam e sim por sua voz interior. A única pergunta que some e volta em sua cabeça agora é: como fugir do presente que você mais desejou? E é ai onde sua história realmente começa e você vê que não tem como voltar atrás. E, de um jeito estranho, está feliz com isso.

INFORMAÇÕES:
Edição: 1
Editora: Dracaena
ISBN: 9788582180426
Ano: 2012
Páginas: 292
Skoob: [LINK AQUI]
 
***

Em Noturno conhecemos a história de Annabelle, uma garota como qualquer outra que vive uma vida normal. O primeiro ponto de virada acontece já nas primeiras páginas do livro, quando Enny vai para a floresta e “algo” acontece com ela por lá.

Sim esse algo é entre parêntese pois é uma coisa muito estranha, sem pé e nem cabeça e que mesmo lendo duas vezes eu não entendi. Sim, quando cheguei numa determinada página eu voltei a leitura. E mesmo relendo eu não entendi o inicio do livro.

Felix tem uma escrita boa, porém o problema em Noturno é a quantidade de informação que ele omite do leitor.Isso causa desconforto. Sei que isso foi intencional, no entanto, pra tudo existem a dose certa, menos é ruim e demais estraga.

Conforme a história vai se desenvolvendo, pouca coisa acontece. Desde o primeiro ponto de virada até o segundo, que é praticamente no final do livro, o autor coloca sua personagem principal em cenas simples do dia a dia de uma garota, que poderiam ter se resumido em bem menos capítulos.

Nessa parte o livro passa a ter um gênero apenas romântico. Para vocês mulheres, acredito que irão gostar mais do que eu gostei dessa parte.
O bom do livro é que Enny é uma personagem muito real. Mesmo com as confusões da trama, a construção de seu relacionamento com Briana (sua melhor amiga) e Scoot (o namorado de Briana), acontece de forma muito natural.
Não houve erros de Pontos de Vista na história e o timing depois do terceiro capítulo começou a fluir muito melhor. Após o segundo ponto de virada, o Timing voou, e a qualidade da escrita melhorou MUITO significativamente, o que mostra um amadurecimento na forma de escrever do autor. 


Outro ponto que não deve ser esquecido são as músicas que acompanham a leitura. As escolhas de Felix para compor a trilha sonora foram uma melhor que a outra, além nos apresentar novos títulos que eu ainda não havia escutado.


Critérios de Avaliação

a) Arte da Capa:
A capa de Noturno foi feita por César Oliveira e é muito bem feita. As Tonalidades usadas com a imagem da mulher mergulhada na água dão um ar de mistério muito convidativo.


b) Trama:
Faltou uma melhor exploração dos pontos de tensão e criação de conflitos eficazes que empenham real relevância na história. O enredo em si é bom, porém pouco aproveitado o seu verdadeiro potencial. O ponto de virada final foi muito bem explorado, conseguindo dar a tensão que necessitava à trama.


c) Caracterização dos Personagens:
Anny, Bree e Scott são bem descritos, Felix os construiu de forma bem realística, apenas não gostei das atitudes da mãe de Anny, que parece ter crise de personalidade, pois cada hora age de uma maneira diferente.


d) Qualidade do Livro (papel, letra, erros, etc.):
A diagramação de Noturno é bem simples e muito boa. Com folhas amareladas e não porosas. Falta mais uma vez nos livros da Dracaena uma melhor revisão de ortografia e gramática, pois encontrei vários erros ao longo da leitura. A qualidade do papel usado na capa é muito bom.


e) Comparação com outras obras do Gênero:
Noturno se mostrou com uma capacidade muito boa, porém pouco explorada, espero que no segundo volume seja mais bem construído sua trama e com mais pontos de conflitos e virada.


NOTA: 3,6
12345

Um comentário:

  1. Karaa... Adorei a Resenha.

    Outro ponto que não deve ser esquecido são as músicas que acompanham a leitura. As escolhas de Felix para compor a trilha sonora foram uma melhor que a outra, além nos apresentar novos títulos que eu ainda não havia escutado.

    -eu tipo. -Uruuuhhh alguem gostou! - rs. Valeu. Moises Suhet. Por ter reparado nisso.
    E tipo. me chamar de Felix é bem legal... tipo. Só uma tia minha me chama desse jeito. E normalmente é pq esta brava. rs. Mas gostei.. Valeu. Por tudo.
    Por ter lido e por ter avaliado.

    ResponderExcluir

Postagens populares