sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Resenha – Jogador Número 1





INFORMAÇÕES:


Edição: 1
Editora: LeYa Brasil
ISBN: 9788580442687
Ano: 2012
Páginas: 464
Tradutor: Carolina Caires Coelho



Skoob: [LINK AQUI










SINOPSE:
Cinco estranhos e uma coisa em comum: a caça ao tesouro. Achar as pistas nesta guerra definirá o destino da humanidade. Em um futuro não muito distante, as pessoas abriram mão da vida real para viver em uma plataforma chamada Oasis. Neste mundo distópico, pistas são deixadas pelo criador do programa e quem achá-las herdará toda a sua fortuna. Como a maior parte da humanidade, o jovem Wade Watts escapa de sua miséria em Oasis. Mas ter achado a primeira pista para o tesouro deixou sua vida bastante complicada. De repente, parece que o mundo inteiro acompanha seus passos, e outros competidores se juntam à caçada. Só ele sabe onde encontrar as outras pistas: filmes, séries e músicas de uma época que o mundo era um bom lugar para viver. Para Wade, o que resta é vencer – pois esta é a única chance de sobrevivência. A vida, os perigos, e o amor agora estão mais reais do que nunca. O Jogador nº1 também estará nas telas pela Warner, e sua produção está sendo divulgada como o próximo AVATAR dos efeitos especiais!

***
 
FAAAAALA MACACADA! =D

Eu sei que eu passei bastante tempo longe e tenho que pedir desculpas por isso. Mas eu estava de férias na minha cidade linda (Salvador), me diverti muito e sei que vocês vão me perdoar. Agora estou cheio de energia da Bahia, e como presente de desculpas e pra mostrar que estou realmente feliz, vamos falar de livro bom!

Já ouviu falar de Jogador Número 1?







Vou logo dizer sem rodeios que esse é um dos melhores livros que li nos últimos tempos, então todos nós já sabemos que ele merece cinco estrelas na avaliação ali no final. Mas então deixa eu mostrar de onde veio tanta empolgação.

O livro é o relato Wade Watts sobre a maior aventura de sua vida. Sim é em primeira pessoa. Mas o autor não comete aquele erro da onisciência. Toda a narrativa flui somente de acordo com o que Wade viu e experimentou. Outro trunfo do texto é que o livro é mesmo um relato feito pelo próprio Wade, como se ele estivesse contando o que aconteceu no passado. Dessa forma o autor consegue inserir comentários e explicar coisas sem perder o rumo da historia ou atrasar a linha de pensamento. Esse formato de narrativa, para mim, é melhor do que o formado “querido diário” como acontece em A Maldição do Tigre, ou o formado “está acontecendo comigo agora”, tipo A Bruxa de Blair.

O único problema é que como é o protagonista contando a sua própria historia em um passado remoto, então você sabe que ele não vai morrer. O que é meio que um spoiler. Mas em compensação você sente como se estivesse conversando com o próprio Wade. Como se vocês fossem velhos conhecidos e ele estivesse narrando, ao vivo, a historia de sua vida. E com isso você desenvolve um relacionamento maior com ele, pois sente como se ele estivesse perto. Também dá pra sentir os momentos de tensão, ação e emoção da historia de forma totalmente diferente. Já que, como você está escutando do próprio Wade, dá pra ouvir a diferença no tom de voz, na velocidade da narrativa. Dá até par perceber quando ele está empolgado contando as coisas ou quando está com o rosto abatido, lembrando de dores do passado que ainda não superou.



A historia em si é bastante empolgante também. É sobre o nerd excluído tendo uma verdadeira jornada atrás de seu sonho. Falando da historia, acontece o seguinte:
No futuro, a humanidade conseguiu usar todo o petróleo do planeta. Isso causou vários danos à natureza e a terra está arrasada. Como se não bastasse, a crise do petróleo destruiu a economia do mundo e a vida das pessoas. Ou seja, viver é uma merda. No meio disso tudo existe um jogo que passou a ser o local de fuga das pessoas (exatamente como a TV é hoje, só que com mais força). James Halliday, o inventor do jogo, naturalmente, ganhou MUITO dinheiro. Mas ao morrer, James deixa um vídeo-testamento indicando que toda a sua fortuna irá para a primeira pessoa que encontrar seus easter-eggs dentro do jogo. A corrida começa. E a corrida é frenética.

O ritmo do livro é realmente incrível. Eu não conseguia parar de ler. Às vezes pegava o Metrô, virava algumas páginas, e de repente já estava no terminal. Eu lia andando e na hora do almoço, eu deixava de assistir minhas series para ler.

Apesar de ler tanto de uma só vez eu não fiquei cansado. A narrativa tem vários pontos de respiro. Além da ação e da aventura, que parecem acontecer todo o tempo, a historia também conta com momentos engraçados, tristes e até românticos. Há momentos em que Wade fica um longo tempo sem progredir no jogo, o que dá certa aflição, já que todo o resto do mundo está correndo enquanto ele não faz nada.


Esse é outro ponto que achei bom. Wade não é o herói comum. Estamos acostumados a Heróis perfeitos ou Heróis que tem defeitos tipo raiva ou orgulho. Em Jogador Número 1, o protagonista é o cara Nerd, gordo, cheio de preguiça e medo. Que é tímido e tem dificuldade de se relacionar com outras pessoas. Que é pobre e tem vergonha. No entanto a historia também não se passa só dentro do Jogo. Ele precisa sair para o mundo real e enfrentar seus problemas e enquanto a historia vai progredindo, Wade também evolui. Mas ele não perde o jeito ou as características principais.

Jogador Número 1 também conta com outros personagens cativantes. Todos os amigos que Wade faz na jornada são diferentes e conseguem nos arrebatar de algum modo. E, se não fosse por eles, Wade não conseguiria chegar nem na segunda fase. É um desses livros que sabem mostrar o valor que tem as amizades. O livro também consegue abordar temas delicados como a exclusão, a timidez, o bullying, as escolhas e o amor de forma tão natural que é fácil trazer para a nossa vida e aprender com ele.

Por falar em coisas que o livro traz. Deixei o melhor para o final. Jogador Número 1 é uma ode aos Videogames e aos Anos 80. A busca aos Easter-eggs de Halliday está toda embasada nesses dois tópicos. Caramba! Eu aprendi um mundo de coisas com esse livro. Reconheci outros tantos milhões de referencias e tive vontade de conhecer outras tantas. É verdade que teve muita coisa que eu não reconheci. Mas por causa do livro, comecei a pesquisar e descobri vários tesouros.

Bem, já deu pra perceber que este está entre os que mais gosto ne? Vamos agora para os



Critérios de Avaliação

a) Arte da Capa: A capa é bem simples, mas muito boa. Tem um “1” enorme, em neon e um tipo bem atual contrastando com o título e o nome do autor logo abaixo com tipografia pixelizada igual aos videogames de antigamente. A capa não tem elementos que poluem ou competem por espaço. Tem harmonia tanto nas cores como no equilíbrio dos elementos.

b) Trama: A narrativa tem um bom ritmo e é bem estruturada. Também é dividida em três partes bem claras, o que ajuda a lembrar da historia depois sem se perder.

c) Caracterização dos Personagens: Os personagens são cativantes e fáceis de se identificar com o leitor. Todos estão bem estruturados e sua essência não se perde no meio da historia.

d) Qualidade do Livro (papel, letra, erros, etc.): O livro tem as margens bem divididas e a tipografia não cansa a visão. A capa, apesar de brochura, tem certa resistência devido à laminação. Uma coisa que achei interessante é que a divisão das Fases do livro é feita com papel inteiramente preto, então dá pra ter uma ideia de onde você está na historia somente olhando para a lateral do livro.

e) Comparação com outras obras do Gênero: É verdade que eu não leio muitas distopias. Mas, apesar da minha falta de conhecimento, Jogador Número 1 consegue se diferenciar pela diversidade de referencias que tem. Também gosto de pensar que a distopia que esse livro oferece não é tão absurda, é muito mais fácil de acontecer.

Nota: 5

    







Resenha - Jogador Número 1 de Jau Santoli é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

Baseado no trabalho em http://edensaga.blogspot.com.

Perssões além do escopo dessa licença podem estar disponível em http://edensaga.blogspot.com.

2 comentários:

  1. Olá!
    Amei sua resenha! Conheci esse livro em um blog ou foi no skoob e gamei! Louca p/ comprar :D
    Bjss
    @moniqueQuimbely

    ResponderExcluir
  2. Jau meu caro.... Como sempre resenha muito boa..
    Já coloquei como desejado no Skoob.. e pretendo comprá-lo para eu ler...
    Abraço!

    ResponderExcluir

Postagens populares