segunda-feira, 22 de outubro de 2012

[ENTREVISTA] - Nina Oliver



Olá Pessoal!
Hoje trago mais uma entrevista para vocês. Dessa vez a convidada a passar pelo tapete vermelho aqui na Profecia de Leslienth será a autora de Nabetse e os Guardiões da Justiça.
Nina Oliver nasceu e viviu em Belém, no estado do Pará e é lá que ela se refugia para continuar a trajetória de Nabetse.
Nina se formou em Turismo pela Universidade Federal do Pará e no momento está cursando sua segunda graduação, focada agora em Direito.
Além de amar escrever, Nina gosta de ler muito, assistir filmes e ouvri música. Ela mora com sua Filha Letícia, que tem apenas 8 aninhos de idade.
Nina estudou piano por 7 anos e ballet por 10 anos, então já dá pra perceber que talento a autora tem de sobra né...  e aqui para o blog Nina confessou: 







"Tenho o hábito de estabelecer diálogos com meus personagens, 
e chamo esse hábito saudável de *esquizofrenia literária*"


Primeira Parte:

A Profecia de Leslienth: Olá Nina, conte-nos como surgiu a idéia de Nabetse e como foi a criação de toda a história?

Nina: A ideia começou com uma imagem que veio à minha mente quando eu estava repousando depois do almoço, a famosa sesta. Eu estava deitada na cama, quase caindo no sono e fiz o mesmo movimento de abrir e fechar os olhos de Nabetse. No segundo abrir de olhos eu o vi, deitado na grama e ao mesmo tempo vi o que ele viu, a manhã estrelada. Sentei na cama, peguei um papel e escrevi “o menino abriu os olhos e contemplou uma manhã estrelada”. Fiquei olhando para aquela frase e quando dei por mim, estava com meu notebook na perna, na página 20 de um manuscrito inicial.

APdL: Nabetse sofreu alguma influência direta ou indiretamente de algum livro ou pessoa em sua criação? Quais foram elas?

Nina: A princípio parecia que não, mas um grande amigo meu, ao ler o manuscrito inicial disse que lembrou muito de O Pequeno Príncipe no momento que Nabetse encontra com a Pequena Estrela. Como o desenvolver a história aconteceu no momento que ingressei no curso de Direito e com minhas aulas de Filosofia do Direito, bebi muito de A República de Platão (Platão) e de Ética a Nicômaco (Aristóteles). Harry Potter é influência, não fugirei disso, afinal quem escreve para o público infanto-juvenil precisa ter em mente que a escrita para este público tem que ser positiva, em todos os sentidos, e se eu conseguir 0,1% da positividade que a leitura de HP teve sobre crianças, jovens e adultos, minha missão estará cumprida.

APdL: Em sua obra há muitos lugares e seres maravilhosos, além de conceitos intrigantes como a Iristinser e o Nada. Como funciona seu processo de criação e inspiração; há algum lugar onde você prefere estar, alguma música ou algum outro fator que lhe incite a criar?

Nina: Ele simplesmente surge, como um rompante. Não forcei nada na escrita de Nabetse, as idéias vieram gratuitamente à minha mente enquanto tocava uma música ou enquanto eu assistia a um filme. Se eu colocar o fone de ouvido pensando em ouvi-la para trazer algo da escrita de Nabetse, esse algo simplesmente não vem. Então, na minha escrita eu estabeleci uma relação de respeito para com a Musa, a deusa da inspiração. Eu entendo as necessidade de “passeio” dela, não me desespero com a tela branca, afinal, foi na tela branca do teto do meu quarto que a figura de Nabetse apareceu pra mim. Eis um conselho meu para quem escreve: a tela branca pode ser uma aliada, portanto, não ousem travar uma guerra de desespero, pois desespero é prisão e criação é liberdade.

APdL:? O que os leitores poderão esperar da continuação da história? Em quantos volumes você pretende finalizá-la?

Nina: Poderão esperar um Nabetse menos inseguro e mais dedicido a conhecer a própria história. Ah, e muito confronto de pulsar. O projeto de Nabetse desenvolver-se-á em 5 livros, pois são cinco eras da vida dele a ser relatadas, da chegada dele até a decisão, ás vésperas das 18 eras completas. A escrita do segundo está progredindo muito bem e terá uma pitada de cultural oriental. É só o que posso antecipar no momento.





Segunda Parte:

APdL: Escrever exige dedicação, tempo e aprendizado. Como você consegue equilibrar a escrita, família, vida social e profissional?

Nina: Ainda não consegui equilibrar. Não adianta me iludir, muito menos o leitor. Mas que fique claro que estou tentando e um dia conseguirei. (risos)

APdL: Como foi seu crescimento como escritora? Qual a experiência que concluir Nabetse trouxe a você?

Nina: Só há crescimento como escritora com muita leitura e humildade. Gosto de acompanhar a escrita de meus colegas de letras, vê-los crescer porque é assim que se cresce como escritor: ficar feliz porque o núcleo da literatura fortalece-se a cada dia. Não há como crescer sozinho, nem mesmo uma árvore cresce sozinha.
Não conclui Nabetse, ele apenas está no começo, mas confesso que conseguir chegar ao último parágrafo do primeiro livro foi uma grande vitória. Só quem é escritor sabe o que eu estou falando.

APdL: Além de Nabetse há algum projeto em que você está trabalhando ou ainda pretende criar?

Nina: Estou trabalhando no segundo livro de Nabetse, em um livro infantil a pedido da minha filha e em um romance. Ousei fazer uma lista de “livros a escrever” e cheguei ao assustador número 20. Hoje pela manhã, esse número foi acrescido, transformando-se em 21, e os projetos englobam fantasia, romance e religiosidade. Agora, mais do que nunca, preciso me planejar

 APdL: Deixe um recado para os  leitores do blog e aos fãs de Nabetse.

Nina: Escrevemos por vários motivos, até mesmo para salvar nossas almas, como já dizia Clarice Lispector. Mas escrever sabendo que um dia nosso escrito estará nas mãos e sob os olhos atentos de um leitor, é a glória suprema. O recado que eu deixo, é um recado de gratidão. Muito obrigada pela leitura, seja de minha obra ou não. Vocês transformam o mundo apenas porque codificam letras escritas em letras lidas. Vocês são os verdadeiros heróis, os personagens principais e mais essenciais da literatura. Sem vocês... Ah, sem vocês nada de romântico, fantástico ou fictício existiria de fato. O irreal só existe porque vocês o tornam realidade. Muito obrigada!

APdL: Agradeço a você por ceder essa entrevista ao blog e por ter compartilhado com os leitores do blog um pouco de sua experiência e trajetória como escritora. Parabéns pelo trabalho que foi Nabetse e sucesso em suas novas publicações.



INFORMAÇÕES:
Twitter da escritora: @nina_oliver
Twitter do livro: @Nabetseoficial
Facebook da escritora: Ninaoliveroficial
Fanpage do livro: Nabetseoficial

Livros à venda no site da Editora Dracaena e:
Cia dos Livros: [LINK AQUI]
Livraria Cultura: [LINK AQUI]
Site da escritora: [LINK AQUI] (autografado, marcadores e frete grátis)



2 comentários:

  1. Muito boa a entrevista! Fiquei ainda com mais vontade de ler o Nabetse.
    Parabéns Nina e ao criador do Blog que, aliás também me pareceu muito interessante!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Cristina... Tenho certeza que você vai gostar de Nabetse..
      Bjus

      Excluir

Postagens populares